[ / / / / / / / / / / / / / ] [ dir / ausneets / fa / htg / komica / mde / strek / vg / wmafsex ]

/psyid/ - psicologia da identidade

nascidos do efemero

Catalog

Winner of the 62rd Attention-Hungry Games
/eris/ - Wherein Is Explained Absolutely Everything Worth Knowing About Absolutely Anything.

November 2018 - 8chan Transparency Report
Name
Email
Subject
Comment *
File *
Password (Randomized for file and post deletion; you may also set your own.)
* = required field[▶ Show post options & limits]
Confused? See the FAQ.
Embed
(replaces files and can be used instead)
Options

Allowed file types:jpg, jpeg, gif, png, webm, mp4
Max filesize is 16 MB.
Max image dimensions are 15000 x 15000.
You may upload 4 per post.


File: e3f89a9ad3eec0f⋯.jpg (60.56 KB, 376x750, 188:375, f81328841fde777a0e9d8ec0a2….jpg)

 No.2[Reply]

Thread de perguntas ao OP.

179 posts and 14 image replies omitted. Click reply to view.

 No.279

Pensarei melhor no restante mais tarde, já vai dar 4 da manhã e estou com sono. Respondo o resto ainda neste fim de semana.




File: b3b91000acb5be0⋯.jpg (227.39 KB, 900x900, 1:1, 1540608932509.jpg)

 No.6[Reply]

Anão mestrando em psicologia da persuasão, publicitário e que trabalha com a estrutura de análise do Google Ads aqui. Vim formular alguns pensamentos que podem ser úteis para alguns anões.

A identidade é uma estrutura extremamente erotizante, no sentido em que busca conectar a si mesma, extremamente disforme e vaga, com a concretude que percebe em objetos externos.

Quando nos identificamos com representações (sejam palavras, conceitos, imagens, reflexo no espelho), estamos gerando alívio terapêutico para essa identidade que busca vincular a si mesma, enquanto terreno, com mapas que possa observar.

O grande dilema da identidade é a incapacidade desta identidade ser observadora de si mesma enquanto objeto, o que nos leva a projetar a identidade em objetos externos para tentar observá-la. Somos viciados nesse processo de tentativa de significação, de busca de um gêmeo exterior ao caos inconcebível que somos, porque construímos sentido somente a partir do acervo que compilamos de externalidades associadas, não dessa identidade que, essencialmente, nada significa.

A própria leitura que você, anão, decidiu fazer desses meus parágrafos, foi na busca de associar de maneira mais efetiva certos conjuntos de palavras e ideias com a sua existência, encontrar algum comportamento definido que possa tornar sua identidade algo mais conhecido. Nomes e palavras, no geral, bem como os sistemas sociais, ideologias políticas, nichos, publicidade, sistemas abstratos absurdos como a astrologia e a própria Internet, servem todos à função de tentar tornar mais convincente, profunda e impactante essa ilusão de identificação.

É esse um dos motivos de imageboards serem, culturalmente, vistos como algo tão repugnante. Algumas religiões (no cristianismo, as protestantes mais tradicionais) abominam a representação da divindade em imagens ou palavras (sendo o nome original de Javé uma corrupção a partir de um conjunto de signos que supostamente devia ser impronunciável); este deus que construímos representa de forma mais profunda o comportamento natural da nossa própria identidade (o que, para ateus, pode significar que projetamos a natureza de nós mesmos, enquPost too long. Click here to view the full text.

67 posts and 6 image replies omitted. Click reply to view.

 No.140

>>84

Descobri no que trabalhas: é para o Steve Bannon.

O momento em que o "sistema foi funcional" foi na ditadura militar.

Ajudastes a eleger o gibeiranaro.


 No.141

>>140

Não trabalho para o Bannon, mas aplico o mesmo tipo de lógica e tecnologia, para fins mais comerciais mesmo, menos políticos.

Posso até ter afetado a eleição de algum jeito, mas minha intenção foi só a de vender quinquilharia.


 No.142

Ótimo bump. Depois de tudo isso falado.

Questão, caso haja um caminho para a iluminação ou salvação, ou conexão com o universo. Temos que sumariamente nos controlar.Já reparei isso, seja qualquer viés.

Me lembra muito o budismo, e que o mundo é sofrimento. E que o buda atingiu a desencanação plena (sei lá) quando venceu o ultimo pecado contra a vaidade apresentada diante dele por um "demônio" o tentando a dar valor a sua própia iluminação, ele negou e venceu.

Então se é para perguntar para o OP, você teme um Deus que pune aqui ou na procima vida. Por que eu costumo disser que isso me pode de diversos pensamentos que considero horríveis. Hum.


 No.143

>>142

Cheguei a comentar isso na board que criaram, mas vou aproveitar para fazer mais alguns apontamentos.

Eu já percebi que existiam certos paralelos entre os conhecimentos seculares de identidade (a partir de linguística, filosofia e psicologia) que possuo e os ensinamentos budistas, mas com o tempo distanciei mais minhas visões das budistas e vou dar alguns exemplos de onde a partir do seu post

>haja um caminho para a iluminação ou salvação, ou conexão com o universo

Qualquer "caminho" para qualquer coisa pressupõe um roteiro mítico, um mapa para um terreno, logo uma representação de terreno. Eu não acredito que exista um caminho para qualquer coisa, como não acredito que a identidade sem identificação seja "iluminada" (porque esta também é uma identificação) e nem conectada com o universo (porque este também será um reflexo); a identidade autônoma e livre de mitos é aquela conectada consigo mesma, ontológica, redundante.

>temos que sumariamente nos controlar

Com isso concordo (no sentido em que a identidade tem a tendência a buscar identificação), mas controlar para quê? Para parar de se identificar ou para se adequar ao mito budista, para se identificar com a espiritualidade oriental?

>que o mundo é sofrimento

Com essa parte do budismo eu nunca me senti próximo. Não me vejo na posição de soberba de garantir que o mundo seja ou deixe de ser exclusivamente nada, nenhum adjetivo, nome ou conceito. O mundo é. Não me cabe exaltá-lo, mas também não me cabe demonizá-lo.

>tentando a dar valor a sua própia iluminação

Esse é o sentido em que mais estive próximo do budismo. Mas nunca construí a visão mítica de uma "exaltação à horizontalidade" que há em Buda, onde se purifica da existência a hierarquia e a valoração. Acredito que seja possível que coexistam ambas as práticas a partir da conveniência. Assim, se escolho não caracterizar o mundo, poderia também igualmente caracterizá-lPost too long. Click here to view the full text.


 No.144

File: 1f90d125f75a39b⋯.jpg (96.05 KB, 564x851, 564:851, e8f26d3a6e65371ab06330fce9….jpg)

Thread original 404 em 01/11/2018

Post last edited at



File: 106c9f95d0c7aaa⋯.jpg (72.57 KB, 564x730, 282:365, 12113dc63e5489d2b59f51397d….jpg)

 No.90[Reply]

Livros recomendados pelo OP e suas notações no seguinte drive:

https://drive.google.com/open?id=11jqPUKJ2mevWGfOlqBLe7_TVJClXHPBY

 No.102

Ainda incompleto

Se alguém quiser ajudar com a lista de livros mais o post em que os livros apareceram, agradeço.

Post last edited at



File: abd5269876fa35c⋯.png (90.29 KB, 564x564, 1:1, dawn.png)

 No.1[Reply]

 No.52

Anão, continue arquivando aquele fio, está épico.


 No.55

>>52

Pode deixar, anão. Estou salvando no meu computador o fio original e vou postar os prints atualizados e o arquivo aqui.




Delete Post [ ]
[]
Previous [1] Next | Catalog | Nerve Center | Cancer
[ / / / / / / / / / / / / / ] [ dir / ausneets / fa / htg / komica / mde / strek / vg / wmafsex ]